A cada encontro eu vivo as emoções de como fosse o primeiro. Mas quem ligaria?

Então, deixo as cartas dentro da gaveta, para quem sabe um dia, eu volte a entregá-las novamente.

Você faz tantos textos falando de solidão e mal sabe que há tantos por aí, na sua espera. À espera do sim, querendo estar perto.

Pensou nelas ao seu redor?

Já pensou que esta solidão possa ser medo?

Medo de viver, de sonhar, de amar e, principalmente, de sofrer. 

Só assim você aprende a reviver tudo de novo. 

Faz parte da vida: o recomeço.

Não tenha medo.

 

Share.

About Author

Além de ser tímida, inquieta, capricorniana, apaixonada pelo mundo das artes e um projeto de jornalista, também sofre sérios problemas. Acha graça de tudo e de todos. Encontra como forma de fuga, tudo que possa envolver a cultura. Toca violão, guitarra, ukelele e um pouco de teclado, no entanto seu melhor potencial é escrever e produzir. Aos 21 anos, tem experiência em diversas áreas da comunicação, inclusive é criadora deste site. "Notas, textos e tetos" será o nome de sua coluna, no qual abordará inúmeros assuntos, incluindo comportamento, amor, imagem, música.

1 comentário

  1. Letícia Anele Kruse on

    Muito bom!! Era tudo o que eu precisava ler no momento….
    Obrigada! <2

Leave A Reply